terça-feira, janeiro 26, 2010

Ceia em memória ao Cordeiro - Sábado 30/11 - Papicu

Amigos,

Neste sábado às 17hs(30/01) faremos uma ceia em memória ao Cordeiro na residência do casal Joaquim e Débora (Edifício Palácio dos Planaltos, Av. Santos Dumont, 6870 - Aptº 604. Próximo à Silcar. Contato: Joaquim 9174-2456).

Venha renovar conosco a alegria da fé e da esperança, compartilhar acerca do Evangelho da Graça que nos capacita a viver a vida com simplicidade. O que procuramos é viver a vida com sabor de Graça e a Graça com sabor de vida! E ser um lugar de encontro de pessoas com pessoas, de pessoas consigo mesmas, de pessoas com o evangelho, de pessoas com a Vida.

Gostaria de lembrar a você que já nos conhece ou tem sido abençoado que convide amigos, familiares, conhecidos ou quem julgar importante para estar conosco, é hora de mostrarmos o nosso compromisso com a pregação do evangelho, é tempo de alegria, de anunciarmos as boas novas, de semear.

Obs. – Quem puder, traga algo gostoso para acrescentar à nossa mesa. Se puder nos avise, para que saibamos o que faltará para compor uma boa mesa.
- Em virtude dessa reunião não teremos encontro na Praia de Iracema.

Nele, que nos chama a caminhar sem medos e sem neuroses.

Ivo Fernandes

NÃO VIM TRAZER PAZ, VIM TRAZER ESPADA! - Marcelo Quintela

Missão na Nigéria


Amigos e Irmão em Missão conosco: Paz seja na sua casa!


No domingo que antecedeu nossa última cruzada, que ocorreu na segunda-feira dia 18, eu acordei virado do avesso. Já estava muito cansado. E no dia anterior, durante o "Surf com a Comunidade" havíamos cruzado com os primeiros homens brancos que não fossem nós mesmos. Um grupo de gerentes petrolíferos canadenses estava "tomando umas" na praia. O Leo parou para conversar com eles e me contou o que eles disseram: "Sabe quando vocês vão conseguir resolver esse problema? - Nunca! Esse povo aqui não presta, é ignorante demais pra mudar". O Leonardo lhes contou, com toda sua calma mineira, tudo que Deus já tinha feito durante os dias de Campanha! Eles se surpreenderam... "Nunca antes na história desse país", algo tinha dado tão certo nesse sentido como estava acontecendo conosco!

Para continuar lendo clique aqui --> http://www.caiofabio.com/2009/conteudo.asp?codigo=05748

segunda-feira, janeiro 18, 2010

O CAMINHO DA GRAÇA SAIU DA ADOLESCÊNCIA NA NIGÉRIA!

O Espírito Santo separou os primeiros Sete Diáconos do Caminho...
Não temos tempo para crescer interiormente como em geral acontece; ou seja: apenas forçados pelos eventos da existência...

Quando vi os primeiros vídeos do que se está fazendo com as crianças na Nigéria, e quando percebi que a “igreja evangélica Nigeriana” era a Bruxa da Desgraça das crianças naquele país; reconhecendo que hoje não me seria possível ir... [meu diabetes pede cuidados que lá eu não poderia dar a mim mesmo], mesmo sem consultar ninguém à priori, disse assim mesmo que iríamos à Nigéria...

E por que tomei uma decisão que eu mesmo sabia que pessoalmente não poderia atender?...

Ora, é porque sei que aqui no Caminho, na comunhão que temos e somos — não faltariam membros do corpo para cumprirem a missão com amor e maturidade!...

Tenho lido os Diários que o Marcelo, o Adailton, o Leo e o Jojo de Olivença têm escrito; e, ao ler, choro de vontade de lá estar, além de me alegrar pela benção de ter manos tão amados e comprometidos com Jesus, que, por tal razão, minha ausência em nada atrapalha, pelo contrário, somente ajuda.

Sim! Eles todos cresceram! Sim! Cresceram e amadureceram como nem em anos e anos de “ministério”.

Hoje sei que temos Sete Diáconos no Caminho!...

Sim! Sete como os Sete do Livro de Atos!

Gente Boa de Deus! Sim, gente cheia de fé, de amor, de bondade e lotada do Espírito Santo!

Eles nunca mais serão os mesmos; e nem o Caminho da Graça!

Faz tempo que digo a eles todos que “jogo é jogo e treino é treino”...

Até aqui tudo era treino... Agora entramos no jogo...

E mais que isto: é apenas o primeiro “jogo”; pois, sinceramente, no Caminho dedicar-nos-e-mos apenas àqueles que ninguém quer...

Sim! Se tivéssemos mais gente e mais recursos já estaríamos nos preparando, mesmo enquanto o grupo dos Sete está na Nigéria, a fim de enviarmos outros Sete para o Haiti...

Peço que todos leiam o Diário de Viagem à Nigéria que está no www.caiofabio.com

Sim, você pode acompanhar tudo que está acontecendo no dia-a-dia deles pelo Diário de Missão... basta acessar aqui!

Aqui também: Dossiê Nigéria

Receba meu amor e sinta a minha alegria por poder ver com meus olhos o surgimento espontâneo e voluntário dos Sete Diáconos do Caminho!

Nele, em Quem tenho alegria de chamar de Sete Diáconos do Amor aos meus manos e filhos na fé na simplicidade do Evangelho,

Caio

17 de janeiro de 2010

Lago Norte

Brasília

DF

Ps. Amanhã recomeçaremos os Papo de Graça ao vivo...

sexta-feira, janeiro 15, 2010

Nigéria IX

DE CASA EM CASA - encontrei gente boa de Deus!


Queridos irmãos

Nestes dias estivemos visitando inúmeras casas.

Sinceramente, ontem, ao voltar para o hotel a pé, eu já não queria conversar com ninguém; fiz-me surdo aos chamados de "homem branco" que vinham dos dois lados da avenida.

Eu tinha acabado de passar na igreja evangélica que mantêm o rapaz acorrentado e lá estava ele ainda, enquanto um grupo de ?irmãos? se reunia para o estudo bíblico ao lado do local onde ele estava, ignorando-o completamente.

E o pastor me vem com aquela conversa mole de que o rapaz será solto quando liberto do espírito maligno... A vontade é de tirar o rapaz à força, e acorrentar o pastor. Fiz o que eu pude; conversei com o rapaz, falei de Jesus para ele... Falei de Jesus para o pastor; um Jesus que ele não conhece; um Jesus que não acorrenta ninguém; um Jesus que não é sarcástico e que não brinca com a desgraça alheia.

Estou triste e com nojo... lamento lhes dizer isto, mas quero ir pra casa. A Nigéria 99% cristã fede. Preferiria sentir o cheiro do cigarro e da cerveja que os crentes daqui não usam; aliás, neste calorzão que tá fazendo, falta uma cerveja geladinha. Isto é pecado aqui.

E você que é evangélico brasileiro e que já está me condenando por querer uma cerveja e o cheiro do cigarro ? vá se enxergar que já estou sem paciência com esta hipocrisia evangélica tola! Tomo cerveja sim, e não tô nem aí se o sujeito fuma. Ele Ceia comigo se ama a Jesus e ao próximo!

Visitamos a casa de um mórmon; e ele conhecia muito bem o trabalho do CRARN na proteção às crianças; não apenas conhecia, ele ajudava com recursos e apoio constantes. Ele nos disse: ?Os evangélicos são os culpados por esta desgraça com as crianças do nosso país. Os pastores são os maiores culpados?.

Há um bom tempo deixei de ser evangélico... acho interessante que centenas ou milhares de evangélicos leiam nossos relatos e jamais façam qualquer comentário... Vocês têm razão, é vergonhoso mesmo. É uma vergonha fazer parte de algo chamado evangélico...

São os evangélicos que estão abandonando e matando as crianças; aí os evangélicos brasileiros me dirão: ?Eles não são evangélicos de fato?. Pois é, todas as semanas, várias vezes, eles se reúnem aqui na Nigéria; cantam os hinos dos hinários tradicionais e os cânticos conhecidos por quase todos os evangélicos no Brasil. Abrem a Bíblia, leem, oram, intercedem, participam da Ceia dos certinhos, ofertam (e como ofertam!), falam de missões, levantam as mãos para os céus, falam em outras línguas, a mensagem dura quase uma hora, usam o nome de Jesus em tudo; dão glórias a Deus, dizem aleluia a tudo, reúnem o conselho, tratam das coisas do ?reino de Deus?, lavram atas, reúnem as mulheres, as crianças, os adolescentes e os homens, fazem conferências missionárias (muitas delas aconteceram em dezembro e janeiro), tem programa de televisão, os pastores são os ?homens de Deus?... tudo para Jesus...

Sim, eles são evangélicos. Evangélicos como os evangélicos do Brasil. A única diferença é que aí não matam crianças...

Recentemente estive conversando com um pastor evangélico no Brasil; ele me perguntou o que faríamos no movimento Caminho da Graça quando nos tornássemos uma igreja como as outras, uma instituição institucionalizada.

Eu respondi que nosso compromisso é com nossa geração e que não respondemos pelas futuras e nem nos preocupamos com isso, mas que oramos e trabalhamos hoje pedindo ao Senhor que nos mantenha leves e simples, sempre olhando para Jesus somente e que as futuras gerações sigam este exemplo.

E fiz a ele uma pergunta: você está me perguntando sobre uma possibilidade futura; e, você, o que fará quanto ao que não é possibilidade, mas realidade presente, a corrupção do meio evangélico? Vai continuar sendo evangélico diante de tanto desvio? Por que não faz agora, o que você fará em breve, que é romper com a religião evangélica e passar a pregar somente o Evangelho sem os acréscimos moral-doutrinário-teológicos da sua denominação?

No caminho pelas casas, encontrei gente boa de Deus; gente que ama a Jesus e o serve de coração, gente que frequenta estas igrejas e desejam ver esta tragédia acabar; encontrei também uma jovem com cerca de 20 anos e um senhor com cerca de 80, ambos afirmando que por ordem de Deus os bruxos devem morrer, sejam crianças ou não.

À jovem, pude expor com tranquilidade o Evangelho da Graça e deixá-la pensativa e receptiva a uma mensagem que ela ainda não tinha ouvido. Nos ofereceu água, coisa tão rara por aqui. O octogenário riu de mim quando lhe falei da Graça. Deve ter pensado que somente poderia ser idéia de um rapaz inexperiente.

Crianças sem ter o que fazer, perdidas, olhando para o nada. Muitas delas sem roupas e sujas, Mães que parecem não vislumbrar um futuro melhor, enquanto lavam as roupas no balde de água ou na bacia; conversei com elas ali mesmo. Enquanto lavavam a roupa, ouviam falar daquele que purifica de todo pecado e liberta de todo mal.

A um grupo de crianças, pedi que cantassem cânticos quando lhes falava sobre o perfeito louvor que sai do peito dos pequeninos abençoados por Jesus e que agora estavam sendo amaldiçoados pelos pastores. As vozes saíram lindas e afinadas. A mãe ficou maravilhada; o pai orgulhoso. A mensagem estava entregue: jamais aceitem que acusem seus filhos de serem bruxos, pois eles são amados por Jesus e a eles pertencem o Reino de Deus.

Entramos em casas, sentamos no chão do quintal, abraçamos pais e filhos de uma gente que está sendo amada por nós e que vamos deixar para trás na esperança de que outros irmãos ?do bem?, gente da terra, não homens-brancos, continuem este ministério; iremos esperançosos de que os pastores que não aceitam esta prática, vão de fato sair do casulo-templo e expor o peito publicamente para pregar contra a estigmatização das crianças, sem ter medo de expor outros ?colegas?. É hora de guerra e não há como fazer aliança com o inimigo. Quem é de Jesus, deve expor-se ao perigo, nem que seja apenas o simples perigo de ser rejeitado pelo grupo.

Não existe espaço para o covarde pastor anglicano que diz não concordar com a estigmatização das crianças como bruxas, mas na frente dos líderes da denominação não tem coragem de admitir. Às favas...

Leiam tudo e retenham o que é bom...

Adailton
Eket - NIG

Nigéria VIII


A DOR DE VER!



Na terceira fase da Missão PEQUENINOS NA NIGÉRIA, pareceu bem ao Espírito e a nós, descer dos púlpitos, abandonar as conferências dentre os que detêm a primazia no meio do povo, e migrar para o “front”, entrar nas trincheiras para a guerra “mano a mano”, olhos nos olhos! Cara a cara com a realidade!



Ah! E que dura realidade! Violenta! Passados dois dias inteiros de batalha campal e aberta, minha alma amanheceu com um grito entranhado, nunca libertado, da dor de ver.



Ah! Se eu pudesse colocar você dentro das minhas pálpebras! Depois que a gente vê as coisas que tem visto não dá mais para fingir que não viu.



Não me refiro à pobreza extrema. Os pobres, sempre os teremos conosco... Falo a respeito da mais estranha categoria de estigmatização infantil. Tenho por certo que uma bomba de insanidade varreu a humanidade que um dia possa ter existido aqui.



Agora... para qualquer lado que se olhe, está tudo lá... É difícil apagar. Ficou estampado, marcado, manchado. É um painel de horrores e o famoso clichê se aplica aqui: É cenário de guerra civil. Tem sangue, mosquito, estupro, abutres, mutilação, monturo, extorsão, maldição, feitiçaria, tumores, exploração, correntes, medo, terror cristão, desencanto e morte.



Nós nos tornamos máquina de evangelizar, que é para ver se, ao menos, a gente belisca essa coisa nojenta que domina o ar! Esse grupo parece uma equipe “caça-fantasmas”, em meio a mais fantasmas do que se podia imaginar! Parece que a gente nunca mais vai embora! Vejo cada um desses soldados: A gente não pára de pregar o tempo todo que é para dizer ao caos que somos Vento contrário! De súbito, vem uma Força para não desanimar! A gente se poupa do óbvio e se dirige ao absurdo!



Pensar, por exemplo...

Pensar é o tipo de coisa que já paramos de fazer faz tempo! Aliás, parece que tudo “faz tempo...”.



É difícil explicar: Quando a gente pensa que isso é cultural, tribal, pagão e milenar; fica evidente que é religioso, cristão-folclórico, atual. Quando pensa que é religioso então, percebe o pano de fundo absolutamente cultural. Quando, finalmente, se conclui que é religioso-cultural, vê que tudo não passa de MÁFIA. É business! É grana! É o diabo... Mamom!



Porém, mais triste do que enxergar esse cenário de guerra infanticida é perceber que o monstro segue adiante sem dar conta que você existe para lutar contra ele. Para cada estandarte que a gente ergue, se levantam dez outros contrários na cidade!



O que existe na África Central existe em todo o mundo; especialmente, onde existe miséria humana e tráfico de drogas, por exemplo. Aqui, contudo, corre o tráfico de alma! Muitas almas! As almas estão acabando por mais gente que nasça... Está aberta a temporada de caça as alminhas que sobraram: as das crianças!



Já vi muita criança sem alma vagando esse lugar! Andam leeentas, feito velhinhos encurvados, sem expressão ou gesticulação. Olhar vago, perdido, entreaberto, confuso. Espectros calados, semi-vestidos, silenciados...



O mal nesse lugar é diferente da fome, da peste e dos terremotos: Aqui, a matança dos inocentes bruxificados é um negócio epidêmico, abrangente, crônico, tentacular, covarde, conveniente, coletivo, impregnado e palpável. É aqui! É aqui mesmo – a geografia do mal!



E “AQUI” se entenda todo e qualquer lado para onde se caminhe a partir desse mirante de discernimentos aonde viemos parar... Sinceramente, estamos no maior matadouro de utopias; isso aqui é a esquina da desesperança total; isso aqui é o “fim do caminho”; é pior que a morte do corpo, é sua ameaça diária, é a sua sombra espreitando os inocentes, comendo gente, sitiando a gente!



Do contrário, alguém pode me responder a questão cotidiana: As crianças que salvamos para onde vamos levar? E se no único orfanato não tem mais lugar? E se voltar para casa é mais perigoso do que qualquer noite sem luar? E o que fazer quando você tenta encontrar um lugar e ao voltar para buscar não tem mais criança lá? E quando tem mais do que você voltou para levar? Se escolho uma, o que eu faço com a outra que vai ficar?



Aqui tem uma fábrica de produção de crianças-bruxas! Os bebês que cuidem uns dos outros! Adulto é um perigo! Adultos são bichos medrosos! Sim! As crianças vivem tensas. A qualquer momento um bicho-gente-grande pode quebrar seus bracinhos, rasgar suas carnes, pingar sangue em seus olhinhos, forçar seus corpos, transformar cada criança num deles!



Chega.

Vou deixar você dormir.

E não vou contar em casa o que eu vi aqui.



Marcelo Quintela (Way to the Nation)

Aqui

Nigéria - VII

DIÁRIO 17 NO MEIO DA GUERRA, OS FILHOS DA PAZ – relato do primeiro dia após a Cruzada
Nos jornais do país, líamos: "Missionários Brasileiros pregam contra a estigmatização infantil".

***

E então, nos tornamos missionários!

Ora, vejam só... O treinamento para a África foi feito na África mesmo!

O Espírito já havia revelado – tanto aos que vieram quanto aos que nos enviaram em contribuição e oração: "Somente vão!"

Em verdade, nem nós sabíamos que era a primeira vez que uma equipe estrangeira formada por "white men" vinha, EM NOME DE JESUS, defender suas crianças dos constantes ataques que elas recebem EM NOME DE JESUS! Informaram-nos até que os poucos Missionários que vieram antes de nós, nunca chegaram tão perto, nunca se enfiaram no meio do povo, dentro das casas, vielas, favelas, igrejas, rodinhas de rua, debaixo do mesmo sol...

Para, além disso, só agora descobrimos que convocar uma Cruzada em terra estranha organizada por gente tão estranha quanto nós é algo que nunca dantes havia sido imaginado.

Ninguém vem para cá, essa é que é a verdade.

Ninguém fica aqui. Os colonizadores aqui deixaram somente a língua inglesa e a instituição cristã. Agora, eles mantêm presença distante via-exploração de recursos naturais, como é em toda África.

Vejam que até o presente momento, nenhum de nós viu ainda por aqui um único homem branco que seja, senão nós próprios. E olha que "white man" é termo genérico e diz respeito a todos e qualquer um que não sejam negros nativos.

Por isso, quando amanheceu o dia seguinte à Cruzada (Witchcraft Prevention Crusade), uma agenda de compromissos se auto-organizou. Tudo relacionado aos efeitos gerados pela Mensagem que trouxemos, associada a esse contexto acima descrito.

Pela manhã fomos à cidade de Uyo, distante em torno de duas horas de Eket, onde estamos instalados. Uyo tem tantas igrejas quanto aqui, senão mais ainda. Em Uyo, fica a sede da igreja "Solid Rock Church". Foi lá que fomos recebidos para uma "reunião ministerial" para nos homenagear. Pastores falaram. Nós falamos. A representante das mulheres e das mães nigerianas também expressou ao microfone gratidão por ter ouvido a mensagem do Reverendo Cesar (vulgo, Adailton) e pela primeira vez, ter refletido sobre a Graça de Deus da forma como foi levada a fazer. Um político presente assegurou-nos que o governo vai manter rigidez na consolidação das leis de proteção infantil e tudo o mais. Doaram-nos uma quantia em dinheiro para o almoço (Isso foi o que mais nos impressionou, já que até agora todo mundo só tinha nos pedido dinheiro e nunca nos oferecido!).

O telefone do Leonardo não parou todo o dia. Um evangelista infantil solitário quer se unir a nós. Seu trabalho é pregar de escola em escola. Um jornalista se diz impressionado com os pensamentos de Caio Fábio, após ouvir o DVD que temos em inglês e lamenta que seus livros não estejam traduzidos. A assistente social da ONG inglesa veio nos procurar dizendo que Deus ouviu suas orações, pois faltava gente que trabalhasse na causa dos problemas e não somente nos efeitos e conseqüências. Os motoristas – dois negros imensos – que nos conduziam para lá e para cá sem entender nada, agora, entretanto, sentem-se parte do time (o que para eles, por enquanto, significa não deixar ninguém chegar muito perto de nós e nem cobrar o dobro do valor das frutas nas feiras).

Todos querem nos acompanhar. A equipe parece maior. Somos uma comunidade...

Temos uma segunda etapa agora. Mais densa e abrangente. E para tal, já encontramos os filhos da Paz!

Vamos dobrando as esquinas...

Marcelo e Equipe, segunda-feira em Eket.

segunda-feira, janeiro 11, 2010

Nigéria - VI


MANNDU, A MENINA-BRUXA & DOIS MENINOS SOB O FACÃO

Durante a preparação do evento, fomos visitar uma jovem chamada Manndu, de 18 anos, que aos 12 fora acusada de ser bruxa. Abandonada pela mãe, a adolescente foi viver nas ruas, onde foi estuprada e engravidou. A avó a recolheu de volta ao lar onde teve seu o bebê.

Esta jovem era a cara da solidão, seu olhar era vago, completamente acostumada a não ter amigos com quem se relacionar, sequer abria a boca para conversar com a gente.

Debaixo de um teto escaldante, nós todos suávamos muito até convencer sua avó de que não havia bruxa nenhuma dentro da sua neta, senão, somente uma jovem normal aprisionada por um rótulo maldito da cultura pagã e religiosa.

Oramos por elas, e pelo bebê. Os homens da casa já morreram. Deixamos suprimento financeiro também, que as aliviaria da dura vida por um pouco.

Ao sairmos desta casa, recebemos uma ligação do CRARN, o orfanato. Eles nos chamaram porque chegaram dois novos hóspedes. Um menino de 10 anos e seu amigo de 6, foram salvos por um bom samaritano que passava bem na hora em que ambos seriam sacrificados.

Eles contaram que um irmão mais velho por parte de pai de uma das crianças, estava se dirigindo para o mato com os dois meninos para matá-los, orientado por alguém que não se sabe quem, ainda. Um casal estrangeiro as levou ao orfanato depois que tudo aconteceu.

Triste começo de mais desgraça cheia de cicatrizes no corpo e na alma desses pequeninos.

Jojo de Olivença

Akwa Ibom/NIG

Nigéria - V

CHOVEU NA ÁFRICA!

Pouco mais de 400 pessoas vieram nos ouvir em campo aberto ontem, na tarde de domingo. Havíamos distribuído em torno de 1600 convites; então, julgo que tivemos ótimo comparecimento, graças a Deus. Caímos na “simpatia do povo”.

“Don´t bring any Money; Just bring your heart!” – era a forma como o Jojó abordava cada passante durante os dois dias que circulamos pelas ruas repletas de gente!

Tínhamos 100 cadeiras. Alugamos mais 100. Outras 200 pessoas ficaram de pé. Todos muito curiosos!

Pastores vinham chegando engravatados. Ternos bonitos. Alguns exigiam que um de nós fosse recebê-los na, digamos, “entrada” da “convenção”. Outros vieram entusiasmados para participar no apoio litúrgico do evento. Todos muito amigáveis e colaboradores. Nós procurávamos distribuir as funções de modo que partes opostas se integrassem e não brigassem entre eles.

Graças a Deus nosso coração estava cheio de paz e de objetivo. Recebemos quem tinha que ser publicamente recebido e dividimos o almejado microfone entre apóstolos, reverendos e evangelistas presentes. Eles agradavam o povo presente.

Um deles nos trouxe uma relação imensa de autoridades eclesiásticas a serem citadas, aplaudidas e homenageadas. Fizemos o mínimo necessário. Negociações o tempo todo: “raspamos a cabeça e circuncidamos Timóteo”. Vestimos suas roupas, a todos cumprimentamos com um sonoro “Praise the Lord!”... Nós vibramos com a apresentação de um coral de “crianças-bruxas” recolhidas no orfanato do Sam e trazidas para a Cruzada por um velho microônibus. Cantaram um “gospel negro” lindo que elas próprias compuseram, entregando a Deus o Perfeito Louvor!

Então, um pastor local responsável por anunciar o pregador, chamou em voz alta, carregada de suspense: “Ele!!! Direto do Brasil!!! Ele!!! O homem de Deus!!! Ele! Ninguém menos do que oooooooooooooh... Reverendo Leeeeeeeooooooooooooouuuuuuuuuu Santoooooooos!!!!!”

Quase gritei GOL! Pensamos que o Rocky Balboa ia invadir o que eles chamavam de “plataforma” (Nada mais, nada menos que o mesmo areão que todos nós estávamos). O Leonardo ficou tão atordoado com a tal chamada triunfal que o mineirinho de Londres chegou lá na frente esquecido de toda a programação. Graças a Deus ele se lembrou de chamar o pregador da noite. “Ninguém mais e ninguém menos que o Reverendo Cesar”! Deixa-me explicar: O reverendo Cesar é ninguém mais e ninguém menos que nosso amigo Adailton César! “Adailton” é uma palavra simplesmente impronunciável aqui; e “reverendo” é a titulação mínima necessária para que alguém faça uso do microfone a fim de abrir a Bíblia e pregar com autoridade!

Lascou-se! Lá fomos nós inventar de última hora um “nome-fantasia” para o Adailton! E ele pregou... Pregou ousadamente, com força e autoridade! Com um estilo “pentecostalizado” que nunca tínhamos visto nele, ex-rev. presbiteriano! O bichinho até pulava! O esforço para se comunicar foi recompensador! Ao final, tínhamos recrutado um exército de gente temente a Deus que se vinculou a nós contra a bruxaria. Aliás, esquecemos que nossa Missão se restringia aos pequeninos acusados por profecias sacerdotais, e o Adailton lhes disse que, pela Graça Abundante de Deus, NÃO TEM maldição que NÃO tenha encontrado seu fim na Cruz de Cristo! Bastava que todos cressem! E todos foram convidados a “SAY NO TO WITCHCRAFT!!!”. Falamos que nosso país também é supersticioso sim; mas que raramente afligíamos nossas vidas com tamanha escravidão cultural, agravada pela astúcia de homens que induzem ao erro os incautos!

Ontem, em Eket, aqui... A alegria deu lugar à vergonha e ao vexame de viver uma situação desse tipo. Os pastores que fingiam que não estavam vendo nada ao redor deles vieram nos dizer que estamos JUNTOS contra a estigmatização infantil.

A distribuição dos evangelhos “GOOD NEWS OF JESUS CHRIST” (ABBA PRESS) e o lançamento do livro “JESUS AND THE CHILDREN” foi feita debaixo de um tumulto incontrolável... Nossos guarda-costas voluntários empurravam o povo de volta para as cadeiras sob pena de não presentear quem estivesse quase arrancando os livros da mão do Clayton, com mão, roupa, Clayton e tudo junto!

Ao final, tiramos centenas de fotos com tanta gente que foi ficando tudo muito cansativo e atordoante ao mesmo tempo em que o amor para com o povo tem aumentado em nossos corações.

Já era noite escura na cidade.

Agora, a gente ia dormir e a notícia ia correr, correr.

A literatura também.

E mesmo o diabo, acusador de nossos irmãos!



Marcelo

Eket City, onde também tem gente boa de Deus!



OBS.: Seria só publicidade se não fosse Verdade. E isso a fim de que o coração de vocês se alegre tal qual o nosso!

Nigéria - IV

Gente amada no Brasil e no Mundo,

Agora são 16.10 h aqui no Sul da Nigéria. Daqui há 50 minutos vamos iniciar o mais estratégico evento dessa segunda fase da Missão: A Cruzada.

Parecemos todos uns leões esperando serem soltos... Feito bichos do amor, seremos soltos agora

Agora o que era só curiosidade ao nosso respeito, vai se tornar claro e público!

O campo de futebol já está pronto com rudimentares instrumentos de comunicação e cadeiras. Os pastores locais já estão mobilizados. Tanto os que nos defendem e querem bem, como aqueles que precisam ouvir-nos para saber onde nos pegar exatamente! As igrejas que lutam conosco já foram pintadas com nossa tinta vermelha, indicando que ali se prega contra a estigmatização das crianças através da bruxaria.

O clima é de tensão lá fora!

É normal. É todo dia assim. Hoje pela manhã um pastor disse à congregação dele que os brasileiros são muito espertos, pois encheram a cidade com cartazes, faixas e convites entregues mão a mão nos quais se dizia: COMO PREVENIR A BRUXARIA!

O povo que conhece o Evangelho sabe que a Cruz já nos preveniu de tudo e vai até a crusada, orgulhosos de nós; e o povo que acredita em bruxaria (a maioria esmagadora) está indo curioso para saber como é possível prevenir-se daquilo sobre o qual não se tem controle. Então, o pastor ria muito dizendo que, desse jeito, atrairemos muita gente.

Foram milhares de convites. Centenas de confirmações ao longo dos últimos 3 dias.

Daqui a pouco saberemos quantos vão comparecer!

A cruzada vai começar com um coral improvisado de crianças-bruxificadas que adoram a Deus com Perfeito Louvor, e não sei como vai acabar, só sei que sinto o Espírito nos conduzindo em triunfo!

Orem por nós! Semana que vem tem mais: outra cidade, a tenda do Caminho (spiritual first aid) no meio da rua, o discipulado dos que se fizeram convertidos durante essa semana e vão continuar o trabalho quando formos embora; e tentar reintegrar às famílias dois pequeninos que foram socorridos HOJE por um passante exatamente na hora que um meio-irmão mais velho estava pronto a imolá-los com um facão no meio do mato, convencido de que ambos são bruxos! Ligaram para nós contando a história e fomos até lá... Amanhã vamos procurar descobrir quem os acusou e fazê-lo MUDO em nome de Jesus, até que se arrependa!

O motorista está me esperando. Todos já foram. Eu, em nome de todos nós, quis falar com vcs antes... mesmo assim corrido... para lhes dizer que, pelo Espírito, sentimos cada um aqui conosco!

Vamos juntos!

Hoje é o começo do fim!

Praise the Lord!

Marcelo and Team





Marcelo Quintela

Santos/SP

na Nigéria




Missão na Nigéria



A Nigéria, com o seu sistema de crenças, não era capaz de molestar uma criança acusando-a de estar possuída por espírito de bruxaria. Havia liturgias que, em última instância, preservavam a integridade da criança, absolvendo-a da acusação sofrida. O fato é que a Nigéria, por ela mesma, não chegava concluir e considerar que uma criança acusada de bruxaria fosse, de fato, confirmada como bruxa.

Mas ai chegou a igreja evangélica! Mais precisamente a modalidade neo-pentecostal, e tratou de fazer o que a Nigéria, por conta própria, jamais conseguiu fazer. Agora a criança acusada de bruxaria não conta mais com os meios religiosos de antes que a inocentavam, pois, na parte "evangélica" da Nigéria, a salvação para uma criança-bruxa é o exorcismo feito por um pastor evangélico. Ele, o pastor, é quem determina se a criança está ou não possuída, e como ele cobra para exorcizar a criança, ele sempre diz que ela está!

Nesse ponto existem duas possibilidades.

Se a família pode pagar pelo ritual de exorcismo, ele será feito e a criança será molestada e traumatizada física e emocionalmente (tem vídeos)

Se a família não pode pagar pelo exorcismo, expulsa a criança de casa, afinal um filho bruxo é a ruína da família. Assim muitas crianças são torturadas antes de serem expulsas (tem vídeos).

Enfim, lá também o sistema "evangélico" é grande, lucrativo, exerce controle e abuso de poder...tudo em nome do jesus que Jesus não conhece.

Existe lá uma minoria cristã contra esse inferno e alguns até conseguem abrigar crianças rejeitadas.

Bem, alguns de nós estamos lá. Fomos surfar com as crianças (fotos) e dizer a todos (de "igreja" em "igreja" e ao ar livre) que delas é o Reino de Deus.

As fotos, textos e vídeos estão em Dossiê Nigéria

Veja e ajude se desejar e puder.

abraço

no Caminho,

hugo theophilo


sábado, janeiro 09, 2010

sexta-feira, janeiro 08, 2010

Notícias - Nigéria - III

Irmãos queridos,

Acabamos de chegar da rua. Que tempo proveitoso foi este hoje; fomos caminhando pela avenida e conversando com pessoas e entrando em igrejas para falar com seus pastores.

O sentimento que temos é de que este povo não suporta mais esta opressão da bruxaria; são 99% de cristãos escravos da superstição e da mentira do Diabo. Eles anseiam por uma libertação que os livre da dependência de oráculos pastorais e da maldição da bruxaria; nosso panfleto convidava para uma cruzada de PREVENÇÃO da bruxaria; esta palavra "prevenção" deixou-os muito intrigados e nos paravam na rua para perguntar como seria possível alguém se prevenir contra a bruxaria.

Cada um de nós teve que gastar tempo com vários grupos para apresentar o Evangelho da Graça em Jesus em resposta a esta questão deles.

Contudo, o que mais me chocou foi a primeira igreja na qual entramos; fomos atendidos pelo pastor auxiliar e quando entrávamos para conversar com, notamos um jovem acorrentado a uma pilastra; ao fim da conversa eu pedi a ele que fôssemos até o jovem e perguntei ao pastor porque aquele jovem estava acorrentado. Ele respondeu quera para ser liberto do demônio.

Então eu perguntei se ele já tinha visto algo parecido com aquilo em Jesus; se em algum momento Jesus tinha acorrentado algum possesso ou orientado seus discípulos a fazerem isto. Que aquela prática nada tinha com o Evangelho de Jesus.

Perguntei se ele tinha lido isto em Paulo, ou Pedro e João. Ele disse que não era o responsável por aquilo, mas sim o pastor titular e os oficiais da igreja. Enquanto o Marcelo e eu ficamos conversando com o Pastor Auxiliar, o Leo conversava com o jovem, o qual não estava possesso, mas apenas perturbado, possesso deste espírito que possui a quase todos aqui, incluindo o pastor-auxiliar, o titular e os oficiais daquela igreja. Possesso deste espírito evangélico que adoece a alma das pessoas.

Sim, com dor no coração, triste por presenciar uma cena tão horrível, digo que possessos estão todos estes pastores que praticam tal coisa e que demonizam a alma de gente pobre e carente de afeto, tornando-os duas vezes mais filhos do inferno.

Encontramos um pastor que prega contra a estigmatização de crianças como bruxas e que aceitou ter a entrada da igreja marcada com a tinta vermelha.

Vamos prosseguindo.

Orem por mim, pois deverei pregar no próximo domingo e peço ao Senhor que os negerianos possam entender meu inglês tão diferente do deles e tão truncado.

Que o Espírito Santo fale ao corações dos que vão ouvir, para que ouçam a voz de Cristo e não meu inglês.

Orem por todos nós; pelo Marcelo, que nos lidera, pelo Leo que é nosso porta-voz com as autoridades e com todos os Nigerianos que nos servem aqui, pelo Leo Fotógrafo que é nosso olho por onde passamos, pelo Willian, que ajuda incansavelmente em tudo, pelo Clayton que é "filho desta terra"(!!!!) e se emociona com cada criança que vê e pelo Jojo, nosso surfista de coração grande.

Em Cristo, nosso querido Salvador.

Adailton

Notícias - Nigéria

Queridos irmãos,

Há muito o que escrever, mas nossos dias tem sido intensos e a internet raramente ajuda!

Conforme foi amplamente anunciado, viemos à Nigéria para três coisas pelo menos:

1) Ajudar as ONG's que recebem as crianças abandonadas e estigmatizadas por terem sido acusadas de bruxas pelos pastores evangélicos. A ação seria realizar atividades com estas crianças incentivando-as a abraçarem o amor de Jesus que as recebe e abençoa, pois delas é o Reino de Deus.

2) Mobilizar igrejas e pastores que aceitem combater este falso evangelho nascido no inferno e confrontar os pastores que praticam esta abominação, dizendo a eles que nosso Senhor Jesus não tem parte com eles.

3) Visitar famílias interessadas em conversar sobre o assunto e orientá-las a caminhar com seus filhos na super-abundante Graça do Senhor Jesus Cristo, vivendo em paz e alegria de terem sido alcançados pelo Evangelho, no qual já não resta qualquer maldição.

Encerramos ontem a primeira fase, levando as crianças da CRARN (Children Right And Rehabilittation Network) para a praia onde o Jojo ensinou a várias delas o básico do surf e muitas conseguiram pegar uma ondinha e irem longe nela! Foi um tempo muito bom para eles, enquanto o Marcelo e eu ficamos no hotel preparando o material de divulgação para a segunda fase.

HOJE INICIAMOS A SEGUNDA FASE!

É hora de partir para as ruas e falar abertamente a que viemos e porque. Fomos conhecer o Pastor John Okoriko, disante mais de uma hora de carro daqui. Ele é um dos poucos que lutam contra este falso evangelho. Ficamos muito felizes com as palavras e o comprometimento dele com o Evangelho de Jesus.

Confirmou que, embora 99% dos nigerianos do sul sejam cristãos e frequentem as igrejas evangélicas semanalmente, a mensagem pregada não é do Evangelho de Jesus. Ao assistir a mensagem de 7 minutos do Rev. Caio Fábio ele se mostrou entusiasmado e grato a Deus por termos vindo e não apenas se dispôs a estar conosco na reunião pública que faremos no domingo às 17:00 horas, como nos convidou para encontrarmos todos os lideres da igreja dele na próxima segunda-feira.

Visitamos ambém o pastor Emanuel, da mesma denominação do Okoriko, mas aqui em Eket. O mesmo aconteceu lá. Grande alegria e entusiasmo dele e dos líderes; tanto o pastor Emanuel, como Okoriko afirmaram que dificilmente encontraremos pastores e igrejas que aceitem nos apoiar, pois todas elas estão envolvidas com a crença na bruxaria e praticam estes atos absurdos contra as crianças, acusando-as de serem bruxas.

Foi quando afirmamos que viemos de longe porque acreditamos que é hora de dizer NÃO a estas mentiras do Diabo.

Dissemos ao Pastor Emanuel que iremos de igreja em igreja e diremos aos pastores que rejeitam esta prática que podem contar conosco, pois pretendemos ajudá-los na pregação do Evangelho de Jesus e no testemunho corajoso e público de que esta prática é abominável e tem que acabar e que Jesus já pagou o preço da redenção e toda maldição e pecado foram encravados na cruz do calvário.

Aos pastores que apoiam esta prática horrível, diremos que eles são inimigos da cruz de Cristo e que Jesus não tem parte com eles. Não teremos medo de dizer, em nome de Jesus, que os bruxos são eles e não as crianças; esta não é hora para meias palavras; é hora de confrontar as trevas com o Evangelho sem medo de dizer àqueles que se utilizam do nome de Jesus para trazer maldição sobre outros e para enriquecerem, que eles são contra Jesus e que um dia receberão a palavra diretamente de Jesus: "Eu não vos conheço".

Ao povo que estiver reunido no campo de futebol neste domingo e na segunda, dia 18, desafiaremos a dizerem não à bruxaria e à estigmatização das crianças como bruxas; que se manifestem dizendo não no próprio coração e na própria família; que pela fé recebam a Graça que vem somente da Cruz e vivam por ela a cada dia e por onde forem anunciem que a libertação já foi dada de uma vez por todas e que nenhuma criança jamais pode ser acusada de ser bruxa e que não pode ser abandonada pela família sob hipótese alguma.

É assim que cremos e é assim que pregaremos.

Orem por nós, pois amanhã começaremos a visitar cada igreja e pastor e no domingo teremos um encontro em campo público.

Beijo em todos,

Adailton

terça-feira, janeiro 05, 2010

Notícias - Nigéria

Manos queridos,

Hoje estivemos na ONG que cuida de 210 crianças abandonadas pelos pais; apenas uma estava ali porque a mãe não tinha condições de sustentá-la; as outras 209 foram literalmente colocadas para fora de casa porque foram acusadas pelos pastores e pastoras de serem bruxas, responsáveis por tragédias e demais problemas que acontecem na família.

Não tendo com o que pagar para os pastores (os quais ficam cada vez mais ricos), se vêem obrigadas a abandonarem seus filhos "bruxos" para se livrarem da maldição que eles supostamente trazem para a família; melhor perder um, do que perder toda a casa, seria o raciocínio deles.

A certa altura, depois de jogar futebol com os meninos e levar um "baile" deles, resolvi filmar o local que fica numa área consideravelmente grande. No início da filmagem, ouvi ao longe vozes de crianças cantando. Fui em direção a elas e encontrei dezenas daquelas crianças cantando a plenos pulmões diversos cânticos de louvor a Jesus.

Estavam sozinhas, sem ninguém a incentivá-las; cantavam apenas porque queriam cantar, porque gostavam de cantar. E cantavam lindamente!

Fiquei mais de hora filmando aquele momento tão bonito e emocionante. Elas conhecem todos os cânticos, eram frequentes nas igrejas evangélicas de onde foram expulsas, bem como de suas casas, porque os pastores disseram ter recebido revelação do espírito santo de que elas eram bruxas.

Aqui estavam as crianças "bruxas" louvando a Deus.. se não nos tornarmos como crianças... disse Jesus.

Uma das últimas músicas que elas cantaram foi Hosana In Excelsis Deo... Glory, Glory, in Excelsis Deo...

Depois nos reunimos com todas elas e contamos a história de Jesus abençoando as crianças, usando os banners tão lindos que a querida Camila, de Ilhéus, desenhou para nós! Foi tudo maravilhoso, com o Marcelo apresentando a mensagem dos banners e a Elisabeth, missionária local, explicando mais detalhadamente utilizando a língua nativa.

A mensagem era clara: vocês não são bruxos, pois Jesus tomou as crianças nos braços e as abençoou; foi ele também quem disse que das crianças é o Reino de Deus.

Quando terminou aquele momento, foram distribuídos as revistas contando a história de Jesus com as crianças, preparado de forma excelente pelo Tato de Curitiba. Foi uma correria; todas as crianças queriam ter o seu exemplar; elas quase subiam nos braços de quem estava distribuindo.


Estas são algumas das 209 crianças chamadas bruxas cantando In Excelsis Deo, Hosana In Excelsis....

Orem por nós!


Adailton

segunda-feira, janeiro 04, 2010

Carta

Aos do Caminho em Fortaleza,

Começamos um novo ano. Novos desafios para novos tempos. E o que precisamos? Que sejamos daqueles que o sim é sim. Que sejamos daqueles que mergulham naquilo que acreditam.

Conto com vocês para dar continuidade a tudo e a ter novas frentes de serviço. Para isso, preciso que os que contribuem financeiramente continuem contribuindo, os que não fazem com regularidade que possam ter essa disciplina e os que não fazem de jeito nenhum que possam começar.

Espero principalmente que cada um dê frutos onde estiverem sido lançados como sementes do Reino. Lembrem-se dos pobres e dos necessitados.

Leiam o Novo Testamento, mas, principalmente leiam a Palavra esteja onde estiver.

Divulguem nossos canais de pregação e nossos encontros de vida.

As reuniões são como seguem:

Celebração da Graça no Caminho – Todos os Sábados – 17h30min –
Local: Estação Praia de Iracema – Rua Tigipió, 277, (salão da Igreja Missionária)

Encontros no Caminho

BARRA DO CEARÁ
Reuniões todas as sextas-feiras as 19h00min
Rua 07 nº. 50 Conj. Hermes Pereira - Próx: ao campo do ferroviário
Tel.: 8741 7611 (Gilson)

CONJUNTO CEARÁ
Toda quarta-feira às 20h.
Rua 1034, 66 - 4ª Etapa (Próximo ao Colégio UV10).
Contato: Paulo - 8716-6193

CAMINHO EM QUALQUER LUGAR
SE VOCÊ DESEJA QUE SUA CASA SEJA UM LUGAR DE ENCONTRO POR FAVOR, NOS CONTACTAR:
E-MAIL: CAMINHOFORTALEZA@HOTMAIL.COM
TELEFONES: 8878 5758 – 9610 3322

O CAMINHO DA GRAÇA É PARA TODOS

Contribuição

BANCO DO BRASIL
Ag.: 3253-0
Conta nº: 9466-8
Janaína Caldas da Silveira Fontenele
CPF: 617177033-72
Ou se preferir nos procure nas nossas reuniões
Estamos também reunindo ofertas para fazermos um depósito para a Missão Nigéria, se desejar participar, deposite especificando.
Informações: http://www.blogdocaminho.com.br/2009/09/missao-pequeninos-na-nigeria.html

Se desejar fazer contato comigo:
CAMINHO DA GRAÇA
ESTAÇÃO FORTALEZA
85 3241 0795 – 85 8878 5758 – 9610 3322

Visitem e recomendem nosso blog:
http://ivofernandes.blogspot.com/

Estou também:
MSN: caminhofortaleza@hotmail.com
Skipe: ivo.caminho