quarta-feira, janeiro 28, 2009

Em homenagem a Onete!


Desde que começamos a nos reunir em Abril de 2006, em torno da mensagem pregada por todos os do Caminho, que conheci muitas pessoas. Muitas passaram por esta estação, outras passaram a caminhar conosco.

É o caso da família da querida Onete, sua filha Elânia, seu marido Salustiano, sua irmã Olívia, sua neta Karine e seu netinho Daniel. Além daqueles que na casa desta família sempre iam, e abençoados eram todos.

Fui recebido nesta casa como um pastor-filho. Todos ouviram e creram no Evangelho. Quando lá cheguei minha querida Onete lutava contra um câncer, e passei a acompanhar a história desta família e desta mulher.

O Evangelho os preparou para a vida e para morte, visto que agora tudo era para Deus. Vi de fato uma família inteira se converter a fé no Cristo, e viverem como justos por meio desta fé.

Hoje, depois de anos de luta contra a doença, minha querida Onete partiu ao encontro do Pai. Tive a chance de estar com ela nos seus últimos momentos de vida. Ontem ao orar por ela e com ela, me senti como que deixando alguém na porta de um lindo lugar para um lindo encontro. E assim foi!

Neste dia, louvo a Deus por ter me dado a chance de conhecer pessoas tão amáveis, e de ter visto de perto a fé de uma mulher valente. Creio de fato no Encontro. E por isso meu coração se alegra. Oro por todos os seus familiares que neste momento apesar da fé comum, sentem a ausência de quem partiu antes para o Encontro que todos nós um dia teremos.

Ao Senhor da Vida, seja dada Honra pela vida da Onete que não termina com a morte!

Ivo Fernandes

28 de janeiro de 2009

terça-feira, janeiro 20, 2009

Ensinado no Caminho

ENSINANDO


Nós somos um movimento comunitário de fé, ação social e ensino cristão que existe para anunciar que "Deus estava em Cristo, reconciliando consigo mesmo o mundo, e não considerando mais os pecados dos homens".



Aos que seguem a Jesus no caminho da existência e que desejam crescer no entendimento da fé saibam que todos os domingos às 09h00min na Estação do Caminho temos um momento de ensino dirigido do Evangelho e de encontro comunitário.




Todos são bem-vindos!




Tema: O Evangelho nos Evangelhos




Participem.




Serão momentos de aprofundamento e crescimento no Evangelho.


Para mais informações: hugotheophilo@gmail.com


Caminho Fortaleza

sexta-feira, janeiro 16, 2009

O TEMOR DO SENHOR!

O TEMOR DO SENHOR!

A ignorância realizada e assumida é o melhor guia para a sabedoria!

Isso se a consciência de ignorância nascer do temor do Senhor, onde reside o Principio de toda sabedoria.

O Temor do Senhor cria a consciência de nossa ignorância e finitude em tudo.

Por isto, aquele que teme ao Senhor acaba se tornando sábio, pois, temer a Deus é o primeiro sintoma de sabedoria no ser.

Sabedoria é:

Andar na finitude sem angustia.

É caminhar simplesmente crendo no que está Revelado.

É saber com humildade, e, portanto, certo de que todo saber é relativo.

É amar a verdade.

É submeter-se a ela.

É não brigar com o sentido da vida.

É reconhecer que verdade é o que gera verdade.

É saber que só se sabe com amor.

É amar para saber.

É ser em lucidez grata.

É gratidão simples.

É simplicidade ativa.

É atividade prática e silenciosa.

É paciência.

É confiança.

É vida para os que assim vivem.

Ora, isto é sabedoria. O resto é apenas presunção do saber sem amor e fé!

Caio

16 de janeiro de 2009
Lago Norte
Brasília
DF

domingo, janeiro 04, 2009

SERÁ VERDADE A MINHA VERDADE?



É sempre impressionante observar como boa parte do que acontece entre pessoas que se desentendem, é fruto de um mar de subjetividades, de habitantes dos ambientes interiores produzidos pela insegurança.

Os habitantes desses ambientes são: a auto-imagem negativa ou seu extremo narcisista; os complexos de inferioridade herdados na cultura familiar ou regional; os choques éticos e psicológicos da cultura de cada um; e, sobretudo, tais ambientes são mobiliados com as mobílias da amargura, do ressentimento e dos sentimentos de injustiça, presentes ou passados, provocados ou não pelo atual objeto do desencontro.

Na realidade é cada vez mais fácil brigar nesta geração machucada e altamente psicologizada!

Todo mundo “analisa” todo mundo, e, no fim, todos se separam pelo que não é, pois, raramente aquele que “analisa” faz qualquer coisa além de apenas apresentar suas projeções, transferências ou criações perversas do outro, sempre fundadas nas razões da magoas ou dos ressentimentos.

Não que objetivamente as pessoas não se ofendam e nem se machuquem. Porém, na maior parte das vezes, até as ofensas objetivas são provocadas por subjetividades que se misturam profundamente com a confusão de julgamento que o ofendido assume como realidade acerca do outro.

Quando Jesus manda perdoar sempre, o tempo todo, Ele nos oferecia a possibilidade de não olhar o outro com um olhar que se torna apenas uma projeção da construção mista que fazemos; misturando o outro, com seus erros, com nós mesmos, e nossas subjetividades complexas e emocionalizadas; possuindo nós, em tal caso, pouca ou quase nenhuma objetividade no olhar e no discernir.

No fim, de fato, quase nada é ofensa para quem decidiu não deixar que o outro seja a lente de seu olhar na existência.


Caio

30 de dezembro de 2008
Lago Norte
Brasília
DF