quarta-feira, agosto 27, 2008

OUÇAM-SE NA MINHA TRISTEZA, POR FAVOR! - Caio

Meus amados irmãos do Caminho da Graça: Graça e Paz!


Antes de 1998, os que colaboravam com o que fazíamos eram pessoas comprometidas e que não nos deixavam na mão.

Havia até aqueles que diziam: “Não irei ou não poderia estar, mas quero pagar para alguém que possa ir, mas não tenha como pagar!”

Hoje... Ai meu Deus, hoje!!!

Hoje, me dá tristeza; e muita!

Temos um site que abençoa milhões, inclusive você que lê esta carta, mas que, até hoje, é sustentando de modo angustiado e parco, pois, os “abençoados” não conseguem somar 1 + 1.

A rádio abençoa milhares e milhares! Mas quem pensa que ela tem custos?

Agora temos a Vem e Vê TV. É uma benção. No entanto, poucos mentores do Caminho da Graça se inscreveram, e, além disso, os do Caminho em Brasília, que antes de eu vir para cá em 2004 eram, juntamente com São Paulo, o maior publico do site, hoje, contando comigo aqui, tornaram-se, a maioria, em uns seres de Nazaré: sem afeto, sem compromisso, sem fidelidade, sem investimento, sem quase tudo que vale a pena.

Gente! Estou mesmo é muito triste e até chateado!

Não é possível que tenhamos que tirar a VVTV do ar porque não nos interessamos em ajudar, tendo banda larga ou não, apenas porque se crê que é útil e que abençoa a muitos.

Já estamos operando sem banda larga dedicada porque os que disseram que “assinariam” antes, não assinaram depois; ou, então: assinaram e não pagaram e não pagam.

Vocês estão tendo outra vez todas as chances que quatro anos atrás nenhum de vocês cria que aconteceria outra vez!

Entenderam? Estou dizendo NENHUM DE VOCÊS CRIA QUE HAVERIA OUTRA CHANCE!

Ora, ela veio; mas, os caminhantes são lerdos e não vão a lugar algum.

Se você não tem nada a ver com isto, esqueça. Mas se tem, minha oração é que você se angustie e muito; pois, sinceramente, dá tristeza ter que depender da ajuda de gente tão alienada e esquecida até do bem que recebe.

Se alguém ainda quer mudar de atitude escreva para chico@caiofabio.com.

Eu ando cansado de tanto “fraternalismo inconseqüente” e descaso!

Triste e muito; e até com saudade dos que filosofavam pouco e agiam muito, como era no passado.


Caio

PS: O absurdo é o Edvaldo ter que tirar do que não ganha, individar-se, a fim de manter funcionando aquilo que todos dizem ser uma benção. Sem o Edvaldo e tudo isto que todos dizem ser alimento, estaria apenas no meu computador. Meu herói é o Edvaldo, que fala pouco e faz muito.


27 de agosto de 2008
Lago Norte
Brasília
DF